Translate

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O ser ou não ser é tão complicado assim?

Me perco em pensamentos, analiso pequenas partes da minha vida com cuidado, como se fossem pequenos pedaços de vidro, pego com cuidado. Observo bem. Observo e vejo que seu contexto ali se encontra tão perdido, que não consigo compreender qual o desejo de outrora.
Teria sido eu mais bonita, magra, inteligente ou forte? Teria sido eu um alguém que tomaria melhores decisões antes? “Não sei dizer se outrora foi tão melhor”.
 A bagunça do coração descontrolado que sou, toma o que eu deveria ser, mas afinal, o que é o sou? Talvez nunca soubera quem sou e jamais saberei quem vou ser, isso é perturbador? Perturbações momentâneas de uma mente bagunçada nada mais é que rotineiro.
Teria eu sido feliz outrora? Teria eu feito as melhores escolhas? E se as fiz, por que é que neste ponto já não compreendo mais o que faço ou devo deixar de fazer, afinal, qual o plano e por que não me lembro dele?




Qual seria o brilho de uma mente sem desejos?